Redução da desigualdade coloca a Uece no 2º lugar do Brasil em novo ranking internacional

5 de abril de 2019 às 15:58

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) ganha destaque em mais uma lista de classificação internacional. O Ranking de Impacto das Universidades é a nova lista do Times Higher Education (THE), único que realiza rankings de desempenho universitário global.

O Ranking de Impacto avalia as universidades em relação aos indicadores de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). Um desses indicadores é a “Redução da Desigualdade”. Foi com as ações realizadas para este fim que a Uece se destacou no novo ranking, ocupando o 2º lugar entre as universidades brasileiras e o 92º do mundo.

Segundo o reitor da Uece, professor Jackson Sampaio, trata-se de uma grande conquista para a universidade, levando em consideração que essa é a primeira avaliação baseada em indicadores de desenvolvimento sustentável.

Para o vice-reitor, professor Hidelbrando Soares, a colocação da Uece deve-se também a algumas características da própria universidade. “A Uece foi a primeira instituição pública de ensino superior do Ceará a se interiorizar, o que explica muito a presença de estudantes advindos de famílias de baixa renda, estabelecendo o perfil do nosso alunado, em que mais de 60% possui renda familiar de até três salários mínimos”. O vice-reitor ressalta ainda as cotas sociais, as quais a Uece aderiu antes mesmo da Lei Estadual, ampliando sua oferta com a determinação do Estado e permitindo o acesso à universidade a mais alunos oriundos de escolas públicas.

Redução das Desigualdades

No indicador de “Redução da Desigualdade”, no qual a Uece se destacou, são consideradas informações como o número de alunos que integra a primeira geração da família a ingressar no Ensino Superior; a existência de política de admissão não-discriminatória; assim como de programas de aconselhamento/apoio a alunos, servidores e professores de grupos subrepresentados.

“Ser a primeira da família a ingressar na universidade, especificamente em uma universidade pública, pra mim é uma oportunidade incrível e muito satisfatória, pois da realidade de onde venho, nunca houve muito interesse pelo curso superior, em razão de fatores como condições financeiras e até falta de conhecimento de como ingressar. Hoje, por meio da vivência e experiência que estou tendo na universidade influencio muitos de meus familiares que outrora não se interessavam por um curso de ensino superior”, conta a aluna do curso de Administração da Uece, Thaís Araújo Souza.

Nesta primeira edição do ranking, mais de 450 universidades de 76 países foram avaliadas por meio desses indicadores cuidadosamente calibrados pelo THE para fornecer comparações abrangentes e equilibradas em três grandes áreas: pesquisa, divulgação e administração.

De acordo com a Folha de São Paulo, essa é a primera vez que uma avaliação global de universidades considera também aspectos voltados ao que, no Brasil, chamamos de extensão universitária, ou seja, a ligação da universidade com seu entorno. Nesse aspecto, a Uece oferece, por exemplo, eventos abertos ao público e projetos de extensão voltados para a comunidade, alcançando a média anual de 164 mil pessoas atendidas no último triênio.

Além disso, a Uece foi classificada ainda nos ODS de “Educação de Qualidade”, de “Saúde e Bem-Estar” e de “Parcerias e Meios de Implementação”.

Clique AQUI para ver o ranking completo.

Repórter Ceará

Compartilhar...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Os comentários estão fechados
Anúncio
Mídia Kit

Anuncie no Repórter Ceará

Baixe o Mídia Kit


Contato: jornalismo@sistemamaior.com.br

Curta nossa página
Escute ao vivo
SerTão TV
Visite-nos
Tempo