Editorial: Canindé – A discórdia política não deve superar a união pelo bem da população

11 de novembro de 2019 às 08:57

Localizado no Sertão Central, o município de Canindé tem a frente a prefeita Rozário Ximenes (MDB), eleita com 47,35% dos votos válidos (17.575 eleitores), em 2016. De lá para cá, o esforço da gestora tem se voltado em tentar manter as contas públicas em equilíbrio, conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), de modo que a população possa ser continuamente beneficiada.

Tudo isso é observado através de conquistas, como a reforma do Corredor Religioso, essencial para a 2ª maior festa à São Francisco das Chagas do mundo, a compra do Centro Educacional Cenecista São Francisco (CNEC), a conquista da Faculdade de Medicina, revitalização da CE-257, que interliga Canindé ao município de Santa Quitéria, as 300 residências que estão sendo construídas pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, o polo da UECE com oito cursos gratuitos, a Areninha, a praça do Programa Mais Infância e a nova frota da Guarda Municipal, que conta com 28 carros e motocicletas.

Apesar disso, ainda se observa a falta de união dos políticos da cidade. Isso não é anormal, mas é irresponsabilidade pública fazer oposição por ser oposição, principalmente no cenário atual, onde a economia brasileira ainda engatinha para sua recuperação.

Essa situação, no entanto, vem de episódios passados, desde quando o ex-marido de Rozário, Luiz Ximenes Filho (in memoriam), assumiu a Prefeitura de Canindé ou chegou a ocupar uma das cadeiras da Assembleia Legislativa do Ceará (ALCE). Durante estes dois períodos, o ex-radialista criticava diversas figuras políticas, sempre com base em documentos que comprovavam até escândalos de corrupção. Com isso, uma perseguição ardente feita pelos criticados foi iniciada contra Ximenes. Na época, o termo ‘fake news’ era desconhecido, mas a ação já era praticada.

O intuito deste artigo, no entanto, não é reviver polêmicas, mas dar crédito a boas práticas realizadas através da política, ações que o município de Canindé vive e aprova, conforme documentos obtidos com exclusividade pelo Portal Repórter Ceará.

Segundo os dados, a maior parte dos canindeenses considera que Rozário faz um governo regular/bom/ótimo e, estes mesmos, aprovam as ações da administração municipal, que, durante todos estes anos, não se envolveu em questões de improbidade administrativa ou crime de responsabilidade, de modo que a prefeita está quase findando seu primeiro mandato sem ter sido afastada do cargo uma vez sequer. Isso tudo é fruto da boa política, que não visa o bem próprio, mas o bem comum.

Utilizar o dinheiro público com parcimônia, aplicando-o nas áreas que realmente necessitam e beneficiando a população, gera capital eleitoral justo, credibilidade e consciência tranquila no momento em que a cabeça for deitada no travesseiro.

“Senhor,
Fazei-me instrumento de vossa paz
[…]
Onde houver discórdia, que eu leve a união.”

Bom lembrar: Que a exemplo da Oração de São Francisco, independente do resultado das Eleições Municipais de 2020, os políticos de Canindé lembrem que a união de forças deve ser superior a qualquer divergência ideológica ou ambição por poder.

Editorial do Repórter Ceará (Foto: Reprodução/Google Maps)

Compartilhar...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Os comentários estão fechados
Anúncio
Mídia Kit

Anuncie no Repórter Ceará

Baixe o Mídia Kit


Contato: jornalismo@sistemamaior.com.br

Entendendo A Notícia
Curta nossa página
Escute ao vivo
SerTão TV
Visite-nos
Tempo