“No Céu do Jardim” vence II Festival de Música da Assembleia Legislativa

2 de agosto de 2020 às 11:55

O II Festival de Música da Assembleia Legislativa encerrou em festa, com a vitória das canções “No Céu do Jardim”, de Orlângelo Leal; “Amor, Ordem e Progresso”, de Kalíope, e “Na Contramão”, de Claudine Albuquerque, que conquistaram, respectivamente, primeiro, segundo e terceiro lugar.

A grande final, realizada na noite do último sábado, 01, sem público presente, no auditório Deputado João Frederico Ferreira Gomes, do anexo II da AL, e transmitida ao vivo pela TV e FM Aassembleia, ainda premiou o cantor Kalíope como melhor intérprete, bem como a canção “Pode Bater Tambor”, de Aparecida Silvino, vencedora da votação popular realizada pela internet. A noite contou, mais uma vez, com a apresentação dos cantores Roberta Fiúza e Levi Castelo Branco.

O presidente da Casa, deputado José Sarto (PDT), apresentou o primeiro colocado e comemorou o “mosaico de emoções” construído pela equipe da Assembleia Legislativa em pleno período de isolamento social. Para ele, cada música interpretada esta noite “é fantástica, dentro dos seus perfis e viés específico”.

“Eu fico muito feliz de podermos dar essa pequena mostra de incentivo à cultura cearense, aos valores locais, principalmente nesse momento em que devemos nos revestir mais e mais com nossa humanidade e compreender que somos todos iguais, feitos da mesma matéria, e nada melhor que a cultura e arte para nos lembrar isso”, pontuou.

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, que realizou a entrega do prêmio de melhor intérprete, também comemorou ao ver a Assembleia Legislativa dando continuidade ao festival, “tornando-o maior, melhor e mais bem estruturado que a primeira edição. Espero que se torne uma tradição e se repita por muitos anos”.

Ele também citou o momento histórico atual, no qual, conforme observou, destacam-se o radicalismo e a falta de compreensão, “principalmente de quem deveria liderar ao criar intencionalmente tensões em toda a nação”. O prefeito ressaltou que a cultura e a arte já são importantes em tempos de paz, “mas é em tempos como esses atuais que a rebeldia, a autonomia, a criatividade e a independência do artista falam por aqueles que não podem falar”.

O secretário Estadual de Cultura, Fabiano Piúba, realizou a entrega do prêmio ao segundo colocado e reforçou a importância da arte e da cultura nesse momento. “A arte tem um papel central no combate a todo esse movimento que semeia o ódio e que vemos crescer atualmente. A AL está de parabéns por proporcionar um evento como esse nesse momento tão específico e cheio de significados”, disse.

O terceiro lugar e o prêmio do júri popular foram apresentados pela primeira-dama da AL, Natália Herculano, e pelo presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador Antônio Henrique (PDT).

Os três primeiros lugares e o melhor intérprete do II Festival de Música da AL foram escolhidos por um júri composto pelo músico e produtor Ivan Ferraro; pelo maestro Poty Fontenelle; o produtor cultural e diretor musical Peninha; o cantor, compositor e produtor Humberto Pinho; o jornalista e radialista Nelson Augusto e o músico Marcílio Mendonça.

As demais canções finalistas, “Lua Vadia”, de Xico Bizerra, interpretada por Mel Matos; “Deixei uma Ave me Amanhecer”, composição e interpretação de Marcos Lessa; “Língua Portuguesa”, de Horácio Dídimo e Joaquim Ernesto, interpretada por Lúcio Ricardo; “Fazendo Serenata”, de Paulo Araújo, interpretada por Marcos Café; “Jangada de Papel”, de Edinho Villas Boas; “Cabô”, de TalDeRafa; “Boi Mansinho”, de Francisco Silvino, e “Asa”, de Juruviara, além das vencedoras farão parte do álbum “II Festival de Música da Assembleia Legislativa”, que será lançado em CD.

Repórter Ceará

Compartilhar...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Os comentários estão fechados
Anúncio
Mídia Kit

Anuncie no Repórter Ceará

Baixe o Mídia Kit


Contato: jornalismo@sistemamaior.com.br

Entendendo A Notícia
Curta nossa página
Escute ao vivo
SerTão TV
Visite-nos
Tempo