Editorial: Com fim do lockdown, Quixeramobim precisa manter fiscalização e ter atenção especial aos postos de saúde

25 de maio de 2021 às 10:39

O primeiro dia de retorno das atividades econômicas em Quixeramobim serviu para mostrar que a cidade e seus integrantes, desde o poder público até a própria população, devem estar atentos, procurando manter os devidos cuidados diante da expressiva alta dos números da pandemia no município, principalmente no que diz respeito à segunda onda ter superado a primeira em relação aos pacientes em acompanhamento.

Com quase 600 pessoas com vírus ativo na cidade e mais de 200 aguardando resultado de exames, a Saúde deve manter as Unidades Básicas (postos) sob constante observação, no sentido de preservar o atendimento ao público, impedindo a ausência de profissionais de saúde, como também, manter o estoque de remédios em dia e todos os aparelhos e instrumentos funcionando.

O assunto já era primordial antes do último lockdown, principalmente por relatos de falta de médicos e remédios. Agora, se tornou mais ainda, já que são os postos de saúde onde as pessoas procuram o primeiro atendimento. Fazer com que esses locais tenham profissionais capacitados e suficientes, bem como equipamentos que consigam atender a toda a população, é o básico para organizar as unidades de saúde.

Nesse mesmo cenário, a cidade acabou de vivenciar o seu isolamento social rígido, lockdown, mais intenso e total. Uma medida de última instância, dura para o comércio e para a própria população, mas, infelizmente, necessária, já que a Covid-19 na região do Sertão Central requer controle maior, segundo recomendação do Governo do Ceará.

Portanto, não se trata da gestão ter reaberto comércio, mas da consciência de cada munícipe, que pode evitar, em casos não essenciais, a saída de suas próprias residências para realizar a compra de algo, que as vezes não é necessário. Os resultados dos dias do lockdown, de 15 a 23 de maio, não irão refletir no boletim epidemiológico de hoje ou amanhã, demonstrando um aumento, decréscimo ou estabilização. Por isso, a tendência ainda é incerta, como também, se o isolamento surtirá ou não efeito. É disso que parte a importância de se resguardar.

Como já retornamos com as atividades, resta para a Prefeitura a motivação de seguir para zona rural, visitar chácaras e açudes, e fiscalizar, para que aglomerações sejam evitadas. Esse é o papel da gestão. Já o papel da população é respeitar as medidas impostas pelos governos.

Não é o momento de fraquejar, pois o cenário não é propício para isso. A população precisa colaborar juntamente com a administração. Somente assim sairemos de um patamar tão alto de números da Covid-19: se formos vacinados e se a pandemia for tratada com a mesma seriedade que seu estrago.

Editorial do Repórter Ceará

Compartilhar...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Os comentários estão fechados
Enquete
Anúncio
Entendendo A Notícia
Mídia Kit

Anuncie no Repórter Ceará

Baixe o Mídia Kit


Contato: jornalismo@sistemamaior.com.br

Curta nossa página
Escute ao vivo
SerTão TV
Visite-nos
Tempo