Máscaras: do simbolismo às necessidades

Terezinha Oliveira • Colunista do Repórter Ceará
30 de maio de 2021 às 13:02

Ao mergulharmos na história da humanidade fica comprovado o uso das máscaras nas mais diferentes funções e significados. Prestam-se à identificação dos momentos vividos pelos grupos sociais, expressando os traços culturais ligados à religião, aos festejos pagãos, aos ritos de passagem, dramatizações, além da função utilitária de proteção aos trabalhadores e trabalhadoras de muitas profissões. Atualmente a circulação do coronavírus transformou esse acessório um instrumento primordial no combate à pandemia, tornando obrigatório o seu uso.

O uso de máscaras vem da pré-história conforme atestam algumas inscrições rupestres representando cenas de caçadores; havia uma crença que elas transmitiam forças. Muito comuns nas sociedades africanas, elaboradas com esmero para os mais diversos atos: homenagens aos seus deuses, comemorações de colheitas, combates, funerais etc. No Egito antigo as múmias recebiam máscaras sempre enriquecidas de valiosos adereços. Na Grécia as Máscaras surgem nos festejos ao deus do vinho e, posteriormente, se tornam elemento fundamental no Teatro – arte aprimorada pelos gregos; é preciso ressaltar a intrínseca relação das Máscaras com a “ilusão” e a “dissimulação” inerentes às apresentações teatrais. Em outras sociedades mais antigas já eram empregadas pelos contadores de histórias, facilitando a narração. No Japão são usadas até hoje pelos atores teatrais. Ao findar o Império Romano os cristãos aboliram seu uso pois as consideravam ligadas aos ritos pagãos.

Com a Idade Moderna a sociedade ocidental retoma o uso das Máscaras. Na Veneza do Sec. XV era comum o seu uso nas ruas, causando problemas à polícia por ocultar os autores de delitos, fato que levou ao controle desse uso. Essa cidade produz belas máscaras que inspiram todo o Ocidente nos Carnavais e em Bailes à Fantasia fora do período momino. O início da Idade Contemporânea com inovações trazidas pela Revolução Industrial torna necessárias medidas de proteção a quem se expõe ao fogo/fumaça, resíduos tóxicos, irradiações de elementos químicos, riscos ao ataque de animais como as abelhas, praticantes de esgrima etc. A máscara também deve ser usada por quem manipula alimentos, profissionais da saúde,

Apesar de novos empregos, ainda é forte a ligação das máscaras com o imaginário popular, envolvendo personagens da literatura consagrados nos filmes, teatro e circos a exemplo do Zorro, Batman e Robin, Mulher Maravilha, Homem Aranha, Flash, Capitão América e muitos outros. Entretanto, o auge do uso de Máscaras ocorre nos tradicionais festejos do Carnaval, da Festa das Bruxas (Halloween) e manifestações folclóricas diversas.

Mas ATENÇÃO – enquanto existir alguém que não foi vacinado, não esqueça de usar sua máscara protetora.

Para conferir mais artigos na coluna Terezinha Oliveira, clique AQUI.

Compartilhar...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Os comentários estão fechados
Enquete
Anúncio
Entendendo A Notícia
Mídia Kit

Anuncie no Repórter Ceará

Baixe o Mídia Kit


Contato: jornalismo@sistemamaior.com.br

Curta nossa página
Escute ao vivo
SerTão TV
Visite-nos
Tempo