Parabéns, Fortaleza, a capital dos cearenses

Terezinha Oliveira • Colunista do Repórter Ceará
16 de abril de 2022 às 12:36

No último dia 13 de abril de 2022, a cidade de Fortaleza completou 296 anos de elevação à categoria de vila, sendo a segunda instalada na capitania do Ceará – a primeira foi Aquiraz. Índios Tapuias foram os primeiros habitantes, mas migraram para o interior após serem expulsos pelos Potyguaras, oriundos do litoral, onde hoje fica a capital do R. G. do Norte. Os primeiros europeus a pisarem o solo do “Siará” foram os espanhóis, em expedição liderada por Vicente Yanez Pinzon, que atualmente nomeia populoso bairro no mesmo local que ele aportou – a Ponta do Mucuripe. Todavia, os espanhóis eram impedidos de tomar posse do local pelas determinações do Tratado das Tordesilhas, assinado poucos anos antes.

Os portugueses chegariam no início do século XVII. Em 1603, Pero Coelho de Sousa chega e constrói o Forte de São Tiago, mas os anos de 1605 a 1607 foram de forte seca, inviabilizando a permanência dos lusitanos que também enfrentaram a animosidade dos indígenas. Em 1613, chega outro português – o Martins Soares Moreno – que reconstrói o Forte de São Tiago em dimensões ampliadas e denominando de Forte de São Sebastião. A notícia da existência de prata na serra de Maranguape atraiu os holandeses e após tentativa frustrada em 1631, voltam e se apossam do Forte no ano de 1637. Mas os holandeses voltam em 1649, comandados por Matias Beck e em negociação com os índios constroem o Forte Schoonenborch às margens do Riacho Pajeú, no Monte Marajaitiba. O Forte é o marco da origem e do nome FORTALEZA. A retomada do local pelos portugueses ocorre em 1654. O Forte passa a se chamar Forte de Nª Sª da Assunção, a padroeira da Cidade. Tem como lema o termo Fortitudine – representando Força, Valor e Coragem.

No Ciclo do Gado, a Vila de Aracati e seu porto desempenharam importante papel na economia estadual, assim como a Vila de Aquiraz (a primeira Capital). Entretanto, com as intensas estiagens no Sertão, sua gente emigrava, sendo a Capital o lócus mais procurado, fazendo crescer seu contingente populacional, gerando uma macrocefalia urbana que ainda persiste com grave discrepância entre o tamanho populacional, a estrutura de serviços e o poder econômico concentrado na Capital. No sec. XIX, com o Ciclo do Algodão, chegam as primeiras indústrias a diversificação do comércio e serviços e, como fator primordial a instalação do Porto do Mucuripe. Vale ressaltar que os governos dedicavam prioridade à Fortaleza em todos os programas de investimentos, desde os tempos de Província. O traçado urbano de Fortaleza foi cuidado por competentes arquitetos como Silva Paulet, Adolfo Herbster, Nestor de Figueredo, Saboia Ribeiro, Hélio Modesto, seguidos pela equipe multidisciplinar que inovou ao pensar na interrelação da Cidade com os Municípios do seu entorno, com os quais interagia fortemente. Assim surge o “Plano de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana der Fortaleza – PLANDIRF”. Outros Planos se sucederam em Gestões diversas, sempre em busca de harmonizar o intenso crescimento da próspera Capital.

Situada em baixa latitude, desfruta de clima tropical dada a sua proximidade com a linha do equador, fator que favorece um céu ensolarado por quase todo ano e, por isso, ganhou do poeta Paula Ney o epíteto de “Loura desposada do Sol”. Com uma orla marítima de 34 km de belas praias, foi vocacionada para se tornar um dos principais destinos turísticos de brasileiros e estrangeiros. Aliada aos atrativos paisagísticos, a Capital Alencarina desenvolveu uma moderna e eficiente estrutura hoteleira, bares e Restaurantes (principalmente na orla litorânea), espaços culturais com apresentações diversificadas, tendo como ponto alto os shows de humor – vocação natural dos conterrâneos de Chico Anysio.

Fortaleza deve ao povo de todas as regiões do Estado a sua força econômica e política, mas foi generosa com todos os cearenses ao abrigá-los nos períodos de intempéries climáticas, ao acolher os jovens que vinham em busca de estudos, na oferta de emprego, além do atendimento especializado na área de saúde.

PARABÉNS, FORTALEZA DE NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO!

Foto da Rua Floriano Peixoto (Acervo/Fortaleza em Fotos)

Confira mais artigos na coluna de Terezinha Oliveira AQUI.

Compartilhar...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Os comentários estão fechados
Anúncio
Entendendo A Notícia
Enquete
Mídia Kit

Anuncie no Repórter Ceará

Baixe o Mídia Kit


Contato: jornalismo@sistemamaior.com.br

Curta nossa página
Escute ao vivo
SerTão TV
Visite-nos
Tempo