Ceará já registra 54 mil casos de chikungunya com 51 mortes

Somente neste ano, o Ceará já confirmou 54.096 casos de chikungunya acompanhados de 51 mortes. Os dados são do Boletim Epidemológico da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), divulgado na última sexta-feira, 14. Até os primeiros quinze dias de Julho, a incidência de casos notificados é de 1.099,4 por 100 mil habitantes. Nesse mesmo período, foram registrados 98.548 casos suspeitos. Destes, 54.096 foram confirmados.

Do total de mortos, 40 residiam no município de Fortaleza, que também registra a maior concentração de casos confirmados, com 37.384 ocorrências, 69,1% do total contabilizado em todo o estado. Os demais óbitos por chikungunya foram registrados nos municípios de Acopiara (1), Beberibe (2), Caucaia (3), Maranguape (2), Morada Nova (1), Pacajus (1) e Senador Pompeu (1).

De acordo com o boletim epidemológico, as três arboviroses – Dengue, Zika e Chikungunya – ocorrem em todas as faixas etárias, mas apresentam maior incidência entre adultos jovens e pacientes do sexo feminino, à exceção daqueles com idades entre cinco e 14 anos e menores de um ano.

Dos 184 municípios, 143 contabilizaram casos da doença. Destes, 101 registraram ocorrência superior a 300 casos por 100 mil habitantes, o que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), configura situação epidêmica.

Dengue e Zika

Até a primeira quinzena de Julho, o número de casos de Dengue confirmados chega a 76 com oito mortes. Dos óbitos, 4 aconteceram em Fortaleza e o restante nos municípios de Itapajé, Maracanaú, Paracuru e Tabuleiro do Norte.

Os casos de Zika chegam a 415, dos quais 43 foram registrados em gestantes. Os municípios que confirmaram casos em gestantes foram Brejo Santo, Fortaleza, Icó e Independência.

Repórter Ceará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *