Especialista americana sobre o Partido dos Trabalhadores: “Nunca haverá um novo PT”

Em entrevista concedida à BBC Brasil, Wendy Hunter, professora da Universidade do Texas e especialista em política da América Latina, afirmou que “nunca haverá um novo PT”.

“Os elementos que formaram o PT – a organização durante a Ditadura, a relação única com suas raízes, o líder carismático, a oposição ao neoliberalismo durante os anos 1990 – dificilmente se reunirão em um só partido novamente”, afirma Wendy.

Sobre o impacto da condenação do ex-presidente Lula, a especialista afirmou que não tem dúvidas de que o PT sairá prejudicado eleitoralmente, já que o partido sofre um sentimento de antipetismo.

“Dilma (Rousseff) venceu a eleição em 2014 por uma margem pequena, e isso aconteceu quando a economia estava melhor e quando as acusações envolvendo os políticos do PT ainda não estavam tão avançadas. Agora, qualquer pessoa que votava no PT tem razões para estar contra o partido”, disse a professora.

Hunter avalia que o partido poderá passar por uma reforma ou “recomeçar” sua trajetória se estiver fora do poder. Ela chegou a citar as ramificações que podem ocorrer pelos próprios petistas, dando origem a um novo partido e ressaltou que estes “não deixaram suas raízes de uma maneira orgânica, mas só se separaram de outros grupos de elite”. Para confirmar o que disse, a professora exemplificou através do PFL (atual DEM), PSDB, entre outras siglas.

“Pode haver partidos surgindo com líderes populares, mas o PT precisou de três décadas para criar a organização que criou. Nenhum outro partido tem este nível de organização e nenhum outro pode construi-la em pouco tempo”, afirmou Wendy.

Repórter Ceará com BBC Brasil