Maravilha e Matadouro clamam pela atenção do Poder Público Municipal

Dentro dos inúmeros bairros que compõem o município de Quixeramobim é possível constatar uma realidade preocupante: O abandono de obras e espaços. A afirmação se refere a Ponte da Maravilha, ao Ginásio do Matadouro.

Obra iniciada na gestão do então governador Cid Gomes e do então prefeito Cirilo Pimenta, a segunda via da Ponte da Maravilha é o sonho dos cidadãos quixeramobienses, visto que é um projeto solicitado há vários anos e que, após ter sua construção iniciada, permanece estagnada.

Recentemente, por problemas estruturais, a ponte utilizada para tráfego de veículos ficou interditada, precisando ser utilizada rota alternativa, que percorria a Passagem Molhada, o Bairro Jaime Lopes e o Depósito para se chegar ao Bairro Maravilha, o que não seria problema caso a construção estivesse terminada.

Passando do Bairro da Maravilha para o Matadouro, o problema é outro: O ginásio abandonado. Entregue ao vento, ao sol e ao matagal, a estrutura da quadra poliesportiva se encontra desgastada, sem pintura. Sem atenção do poder público, o espaço que deveria estar zelado para uso da comunidade local está esquecido, assim como diversos outros equipamentos do mesmo tipo na cidade.

Vale ressaltar, também, o problema do lixo encontrado nas proximidades do ginásio. Sabe-se que, a resolução de tal problemática somente será resolvida quando a população estiver consciente que “lixo deve ser jogado no lixo”. A afirmação é clichê, mas quando colocada em prática, traz diferença significativa à saúde e ao ambiente. Além disso, o Poder Público, já investe na limpeza da cidade, contudo, deixa a desejar na falta de planejamento de locais de descarte de materiais.

De qualquer maneira, a população destes bairros clama ao Poder Público que olhe para suas necessidades e utilize o erário municipal com parcimônia, pensando no bem da população em unidade, de modo que todos sejam beneficiados com os investimentos empregados no município.

Repórter Ceará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *