Em que as eleições de 2020 afetarão o Brasil de 2022: Estados Unidos

Itamar Filho • Colunista do Repórter Ceará
31 de agosto de 2020 às 18:46

Um fato ocorrido em determinado tempo poderá afetar outro vindouro no futuro? Na história e na vida vemos que sim. Se Hitler tivesse sido aceito na Academia de Belas Artes de Viena, seria hoje estudado como o crápula cruel e monstruoso que foi ou como um grande artista que poderia ter sido? Também na história aprendemos que as possibilidades são infinitas, e por isso ficamos com os fatos, e o fato foi que Hitler se tornou um ditador sanguinário e louco por toda conjuntura de sua vida. Digo isso para explicar os pontos de vista que serão apresentados nessa e na próxima coluna, partes do mesmo tema: a influencia que os sufrágios de 2020 terão nas próximas eleições gerais brasileiras – sim, pois essa primeira parte trata da eleição norte-americana, mas a próxima será sobre as municipais de novembro.

Os Estados Unidos passam por uma turbulência política acentuada pela pandemia da Covid-19, que já vitimou mais de 180 mil vidas estadunidenses, desequilibrou a até então sólida economia da mais poderosa nação do mundo e elevou os índices de impopularidade de seu mandatário, o republicano Donald Trump. Isso sem contar com o fator da insurreição popular que tomou conta das ruas e massas das principais cidades do país em decorrência da morte de George Floyd e da ferida nunca cicatrizada do racismo na sociedade yankee. Trump, que caminhava para uma possível já ensossa vitória, agora vê seu adversário, Joe Biden – ex-vice-presidente na gestão Obama – disparar nas pesquisas e despontar em primeiro lugar. Biden, após sua confirmação como candidato nas internas do partido Democrata, teve uma das mais acertadas decisões políticas dos últimos tempos: convidou para completar sua chapa a senadora Kamala Harris, mulher, defensora de minorias, filha de imigrantes e afinada ao movimento negro dos Estados Unidos. Com isso, atingiu em cheio Trump em todos os públicos que o atual presidente nunca teve o discurso aceito, o que aumenta mais ainda sua rejeição. Essa tende a crescer, também com a desastrosa convenção do partido Republicano, que usou do medo e constrangimento para dialogar com a sociedade. Mas afinal, o que uma derrota de Trump representaria para o Brasil e, em especial, para as próximas eleições?

A política internacional do chanceler Ernesto Araújo tomou uma arriscada decisão: se alinhar, sem qualquer que seja a crítica, as decisões de Washington, usando da história da diplomacia brasileira como sustentador dos discursos e decisões do presidente norte-americano mais contestado internacionalmente. E isso por questões de afinidade ideológica, e não estratégicas para o desenvolvimento de nosso país. O governo Bolsonaro trata os Estados Unidos como se ele fosse o principal parceiro comercial do Brasil – coisa que não é, já que a China detém esse papel – e para agrave de situação, Bolsonaro não gosta da política dos democratas e Biden e sua vice, Harris, já condenaram publicamente declarações de nosso presidente. O primeiro impacto dessa reviravolta nos Estados Unidos em nosso país seria imagético, já que o governo Federal “perderia” essa parceria, a família Bolsonaro ficaria sem seus ídolos e a extrema-direita brasileira iria ter de rebolar para achar uma narrativa palpável para o acontecimento. Até 2022, a oposição no Brasil poderá, então, usar e abusar da primeira grande derrota da onda dos discursos baseados em Fake News iniciados por Trump em 2016 e utilizados nas campanhas brasileiras de 2018, bem como todos os políticos baseados em falas polêmicas, teocráticas charlatãs e saídas fáceis para crises – que beiram as usadas por Mussolini e o já citado Hitler – seriam abalados. Na política e na história, a narrativa sempre será uma das protagonistas.

Em breve, a segunda parte deste tema. Esta coluna tem a pretensão de ser colaborativa. Se crê que algum tema da política e dos acasos sociais são de grande relevância, entre em contato, terei o prazer de discuti-los com você e, a depender da conversa, virar assunto de nosso espaço.

Compartilhar...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Os comentários estão fechados
Enquete

Considerando o cenário de pandemia na sua cidade, você se sente seguro em sair para votar no dia 15 de novembro?

View Results

Loading ... Loading ...
Anúncio
Mídia Kit

Anuncie no Repórter Ceará

Baixe o Mídia Kit


Contato: jornalismo@sistemamaior.com.br

Entendendo A Notícia
Curta nossa página
Escute ao vivo
SerTão TV
Visite-nos
Tempo